quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Texto de Rachel de Queiroz. Revista O Cruzeiro, 11 de janeiro de 1947

Votar

Rachel de Queiroz


Não sei se vocês têm meditado como devem no funcionamento do complexo maquinismo político que se chama govêrno democrático, ou govêrno do povo. Em política a gente se desabitua de tomar as palavras no seu sentido imediato.
No entanto, talvez não exista, mais do que esta, expressão nenhuma nas línguas vivas que deva ser tomada no seu sentido mais literal: govêrno do povo. 
Numa democracia, o ato de votar representa o ato de FAZER O GOVÊRNO. 
Pelo voto não se serve a um amigo, não se combate um inimigo, não se presta ato de obediência a um chefe, não se satisfaz uma simpatia. Pelo voto a gente escolhe, de maneira definitiva e irrecorrível, o indivíduo ou grupo de indivíduos que nos vão governar por determinado prazo de tempo. 
Escolhe-se pelo voto aquêles que vão modificar as leis velhas e fazer leis novas - e quão profundamente nos interessa essa manufatura de leis! A lei nos pode dar e nos pode tirar tudo, até o ar que se respira e a luz que nos alumia, até os sete palmos de terra da derradeira moradia. 
Escolhemos igualmente pelo voto aquêles que nos vão cobrar impostos e, pior ainda, aquêles que irão estipular a quantidade dêsses impostos. 
Vejam como é grave a escolha dêsses “cobradores”. Uma vez lá em cima podem nos arrastar à penúria, nos chupar a última gôta de sangue do corpo, nos arrancar o último vintém do bôlso. 
E, por falar em dinheiro, pelo voto escolhemse não só aquêles que vão receber, guardar e gerir a fazenda pública, mas também se escolhem aquêles que vão “fabricar” o dinheiro. 
Esta é uma das missões mais delicadas que os votantes confiam aos seus escolhidos. Pois, se a função emissora cai em mãos desonestas, é o mesmo que ficar o país entregue a uma quadrilha de falários. 
Êles desandam a emitir sem conta nem limite, o dinheiro se multiplica tanto que vira papel sujo, e o que ontem valia mil, hoje não vale mais zero. 
Não preciso explicar muito êste capítulo, já que nós ainda nadamos em plena inflação e sabemos à custa da nossa fome o que é ter moedeiros falsos no poder.Escolhem-se nas eleições aquêles que têm direito de demitir e nomear funcionários, e presidir a existência de todo o organismo burocrático. 
E, circunstância mais grave e digna de todo o interêsse: dá-se aos representantes do povo que exercem o poder executivo o comando de tôdas as fôrças armadas: o exército, a marinha, a aviação, as polícias. 
E assim, amigos, quando vocês forem levianamente levar um voto para o Sr. Fulaninho que lhes fêz um favor, ou para o Sr. Sicrano que tem tanta vontade de ser governador, coitadinho, ou para Beltrano que é tão amável, parou o automóvel, lhes deu uma carona e depois solicitou o seu sufrágio - lembrem-se de que não vão proporcionar a êsses sujeitos um simples emprêgo bem remunerado.Vão lhes entregar um poder enorme e temeroso, vão fazê-los reis; vão lhes dar soldados para êles comandarem - e soldados são homens cuja principal virtude é a cega obediência às ordens dos chefes que lhe dá o povo. 
Votando, fazemos dos votados nossos representantes legítimos, passando-lhes procuração para agirem em nosso lugar, como se nós próprios fôssem. 
Entregamos a êsses homens tanques, metralhadoras, canhões, granadas, aviões, submarinos, navios de guerra - e a flor da nossa mocidade, a êles prêsa por um juramento de fidelidade. 
E tudo isso pode se virar contra nós e nos destruir, como o monstro Frankenstein se virou contra o seu amo e criador.
Votem, irmãos, votem. 
Mas pensem bem antes.
Votar não é assunto indiferente, é questão pessoal, e quanto! 
Escolham com calma, pesem e meçam os candidatos, com muito mais paciência e desconfiança do que se estivessem escolhendo uma noiva. Porque, afinal, a mulher quando é ruim, briga-se com ela, devolve-se ao pai, pede-se desquite. 
E o govêrno, quando é ruim, êle é quem briga conosco, êle é que nos põe na rua, tira o último pedaço de pão da bôca dos nossos filhos e nos faz aprodecer na cadeia.
E quando a gente não se conforma, nos intitula de revoltoso e dá cabo de nós a ferro e fogo.
E agora um conselho final, que pode parecer um mau conselho, mas no fundo é muito honesto. 
Meu amigo e leitor, se você estiver comprometido a votar com alguém, se sofrer pressão de algum poderoso para sufragar êste ou aquêle candidato, não se preocupe. 
Não se prenda infantilmente a uma promessa arrancada à sua pobreza, à sua dependência ou à sua timidez. Lembre-se de que o voto é secreto. 
Se o obrigam a prometer, prometa.
Se tem mêdo de dizer não, diga sim.
O crime não é seu, mas de quem tenta violar a sua livre escolha.
Se, do lado de fora da seção eleitoral, você depende e tem mêdo, não se esqueça de que DENTRO DA CABINE INDEVASSÁVEL VOCÊ É UM HOMEM LIVRE. 
Falte com a palavra dada à fôrça, e escute apenas a sua consciência. 
Palavras o vento leva, mas a consciência não muda nunca, acompanha a gente até o inferno”. 

*Atenção!!! A redação é a da época em que foi publicado. 

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

"A verdadeira caridade surge espontaneamente de um coração simpático, antes mesmo que qualquer pedido seja feito. Ela é a pessoa que dá, não ocasionalmente, mas constantemente". Textos Budistas




A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana.
Franz Kafka

Pense sobre isso: a corrupção define o Brasil?!

Corrupção define Brasil, mas não o brasileiro, diz estudo





FerPara compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/10/1929574-corrupcao-define-brasil-mas-nao-o-brasileiro-diz-estudo.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

sábado, 2 de dezembro de 2017

"O homem, com suas nobres qualidades, ainda carrega no corpo a marca indelével de sua origem modesta". Charles Darwin

Estudo liga origem do sobrenome a tamanho do salário no Brasil


Silva, Santos, Oliveira, Souza e Pereira são os sobrenomes mais comuns de 46,8 milhões de trabalhadores do setor privado, com idade entre 23 a 60 anos, no Brasil.
Juntos, respondem por cerca de 45% dos sobrenomes que constavam, em 2013, na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), uma base de dados socioeconômicos do Ministério do Trabalho.
Mas, se comparados aos de outras origens - em especial japonesa e germânica -, as chances de os brasileiros que carregam esses cinco sobrenomes tão comuns ganharem salários menores são grandes. 
Uma pessoa com sobrenome de ancestralidade japonesa, por exemplo, recebe, em média, um salário 16,8% maior que um pessoa branca com sobrenome ibérico. Os germânicos, por sua vez, recebem 8% mais que os indivíduos bancos com sobrenomes portugueses e espanhóis.
Pardos, negros e índios, refletindo a já conhecida desigualdade que persiste no país, ganham menos.
Quando o critério são apenas os 100 maiores salários registrados na Rais, porém, os alemães se destacam - e os japoneses vão para o fim desse seleto ranking.
Nessa lista, segundo a base do Ministério do Trabalho, 43 carregam sobrenomes de ancestralidade alemã, 22 italiana e 17 ibérica (veja quadro).
Esses dados fazem parte de uma série de estudos do economista Leonardo Monasterio, do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), que tem se dedicado a pesquisar sobrenomes, ancestralidade, diversidade cultural e mobilidade social no Brasil. [...]

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Em inversão de papéis, alunos dão aulas de tecnologia a professores na Finlândia



No pouco ortodoxo modelo de ensino que levou a Finlândia ao topo dos rankings globais de educação, uma inovadora inversão de papéis começa a tomar corpo: alunos estão dando aulas aos professores, para ensinar os mestres a otimizar o uso de tecnologias de informação e comunicação nas escolas.
"Crianças e adolescentes aprendem a lidar com novas tecnologias e aplicativos de maneira muito mais rápida do que nós, adultos. E eles não têm medo de tentar coisas novas", disse à BBC Brasil Pasi Majasaari, diretor da escola Hämeenkylä, na cidade de Vantaa, próxima à capital Helsinki.
"É maravilhoso ter crianças de até dez anos de idade dando aulas de tecnologia aos nossos professores, e os resultados têm sido surpreendentes. Tanto para os estudantes como para os mestres", destacou.
  • O projeto OppilasAgentti ("Agentes Escolares", em tradução livre) está sendo conduzido em cerca de cem escolas finlandesas, e a ideia é levar a nova experiência a um número cada vez maior do universo de 3.450 instituições de ensino do país.
Trata-se de um modelo para desenvolver as competências tecnológicas não apenas dos professores, mas de toda a comunidade escolar - e também do seu entorno: os alunos da escola Hämeenkylä, por exemplo, também estão dando aulas aos idosos de um asilo local sobre como usar redes sociais, iPads e outros dispositivos.
"Acreditamos que é importante ensinar nossas crianças a descobrir seus potenciais e a desenvolver seus valores, e mostrar a elas o impacto positivo que cada indivíduo pode exercer na sociedade", observa Pasi Majasaari.
"É preciso compreender a realidade à sua volta, e por isso nossos alunos também cooperam com a igreja local em programas assistenciais para a alimentação dos mais pobres e menos favorecidos em nossa sociedade", acrescenta o diretor.
A escola tradicional, dizem os finlandeses, já não funciona mais.
"O modelo de educação da era industrial treinava crianças para ficarem sentadas, quietas e em silêncio, e executar tarefas repetitivas. As crianças de hoje não querem e não precisam mais ficar sentadas. Elas precisam exercitar sua criatividade, exercer um papel ativo e serem ensinadas a pensar por conta própria", diz Majasaari.

Constante evolução

A ideia de envolver os alunos na capacitação tecnológica dos mestres nasceu a partir de relatos de muitos professores, que diziam ter dificuldades em se manter atualizados com a constante evolução da era digital.
"Muitas inovações tecnológicas são compradas regularmente para equipar as escolas, como por exemplo novos aplicativos ou as imensas tevês inteligentes de tela plana que temos em nossos corredores. Mas vários professores ou não sabiam como usá-los em todo o seu potencial, ou não tinham tempo suficiente para se dedicar a essa tarefa", diz o diretor da escola Hämeenkylä.
Os alunos do projeto StudentAgents têm entre dez e 16 anos de idade. Pelo sistema, os estudantes interessados em participar se apresentam como voluntários, e relatam suas competências e habilidades em determinadas áreas. As escolas também oferecem treinamento aos alunos, em aulas ministradas por especialistas de diferentes empresas finlandesas que revendem soluções tecnológicas para o sistema de ensino do país.
  • A partir daí, os estudantes produzem um mapeamento das necessidades digitais da escola, sob a orientação de um professor. Eles fazem então um planejamento das atividades necessárias, e passam a atuar em três frentes.
Na sala dos professores, os alunos dão aulas ocasionais sobre como usar diferentes dispositivos e aplicativos. Professores também podem contatar os estudantes para pedir assistência individual, a fim de solucionar pequenos problemas. E os alunos-mestres também atuam como professores assistentes nas salas de aula, para prestar ajuda tanto aos professores quanto a outros colegas de classe quando determinada lição envolve o uso de tecnologia.
"Os alunos estão ajudando a implementar uma série de novas soluções digitais nas escolas, como a prestação de apoio técnico na introdução de sistemas", diz à BBC Brasil Risto Korhonen, da Ilona IT, uma das empresas finlandesas que vêm realizando treinamentos para os alunos do projeto StudentAgents.
As aulas de codificação são particularmente relevantes, ele diz:
"Grande parte dos professores possui um conhecimento limitado nessa área, e por isso os alunos desempenham um importante papel ao ensiná-los a lidar com dispositivos de codificação."
Os estudantes do projeto também realizam webinários (seminários transmitidos via internet) para ensinar colegas de outras escolas, além de treinar crianças menores em técnicas de edição e animação de vídeos.
"Nossos alunos estão ainda dando suporte técnico a uma série de atividades na escola. Por exemplo, eles desenvolvem os efeitos especiais e todo o sistema técnico para os concertos de música que realizamos", diz Pasi Majasaari.

Alunos felizes e orgulhosos

Os resultados positivos da experiência foram apresentados recentemente durante o evento que a Finlândia classificou como a maior reunião de pais e professores do mundo - uma conferência realizada simultaneamente, nas escolas de todo o país, para debater a agenda de reformas necessárias a fim de preservar o nível de excelência do ensino público finlandês nos próximos anos.
"Os alunos estão felizes, e orgulhosos de si mesmos. Alguns deles, que não eram bons alunos em determinadas matérias, adquiriram uma nova autoconfiança. Uma de nossas crianças apresentava problemas de concentração, mas floresceu de forma surpreendente quando demos a ela esta oportunidade de participar de maneira ativa e positiva na escola", conta Majasaari.
Os professores também têm aprovado os efeitos da inovação. É uma lógica natural, aponta o diretor da escola:
"Quando ajudamos as crianças a identificar seus talentos e suas forças, elas se comportam melhor, aprendem melhor e obtêm melhores resultados nas escolas."
Inverter o papel tradicional dos alunos nas escolas é mais um pensamento fora da caixa do celebrado sistema finlandês, que conquistou resultados invejáveis nos rankings mundiais de educação com um receituário que inclui menos horas de aulas, poucas lições de casa, férias mais longas e uma baixa frequência de provas.
Um dos principais pontos do novo currículo escolar, adotado em agosto do ano passado, é fazer com que as crianças se transformem em aprendizes ativos.
"É um novo conceito de aprendizado", diz o diretor Pasi Majasaari.
"Nossos alunos do ensino médio já não usam mais livros escolares. Nas aulas de História, por exemplo, os estudantes aprendem a trabalhar com chromebooks (computadores pessoais) que permitem a eles coletar informações, analisar dados e escrever seus próprios livros eletrônicos. Assim, eles aprendem ao mesmo tempo história e tecnologia", ressalta.

Para pensar...

"Nossas intenções costumam se tornar bonitos brinquedos que distraem nossa atenção das coisas sérias. Elas são tão somente meios aperfeiçoados para um fim não aperfeiçoado, um fim que já era fácil demais atingir, como estradas de ferro levando de Boston a Nova Iorque. Nós estamos com enorme pressa para construir um telegrafo magnético do Maine para o Texas; mas pode ser que o Maine e o Texas nada tenham de importante a comunicar. É como se o maior objetivo fosse falar depressa e não sensatamente".

Ralph Waldo Emerson

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

“Quando somos libertados de nossos medos, nossa presença automaticamente liberta a outros.” Nelson Mandela

Década Internacional de Afrodescendentes

Ao declarar a Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024), a comunidade internacional reconhece que os povos afrodescendentes representam um grupo distinto cujos direitos humanos precisam ser promovidos e protegidos. Cerca de 200 milhões de pessoas autoidentificadas como afrodescendentes vivem nas Américas. Muitos outros milhões vivem em outras partes do mundo, fora do continente africano. Confira abaixo notícias e visite o site oficial: http://decada-afro-onu.org

#VidasNegras: Você sabe o que é filtragem racial?

Você sabe o que é filtragem racial? É quando uma pessoa é escolhida como suspeita simplesmente por causa da cor. Isso é justo?
A campanha #VidasNegras busca sensibilizar para o fim da violência contra a juventude negra no Brasil.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

II CONALIBRAS - Informações sobre a etapa virtual, pela internet.


DATAS IMPORTANTES 

29/11 – Data limite para inscrição de participação geral do evento
22/11 - Data limite para inscrições com apresentação de trabalho Comunicação e Pôster (resumo) - trabalhos2conalibrasufu@gmail.com
19/11 a 24/11 - Resultado de trabalhos aprovados
 26/11 - Início das atividades do II Congresso Nacional de Libras da Universidade Federal de Uberlândia – CONALIBRAS-UFU – Etapa Virtual
10/12/2018 – Data limite para o envio do trabalho completo (artigo e/ou resumo expandido) – trabalhos2conalibrasufu@gmail.com

Esse será o primeiro Evento da área de Libras que será realizado em na modalidade a distância no Brasil. O objetivo de realizar o Congresso de Libras a distância é atender a inúmeros pedidos de várias pessoas que não conseguiram se deslocar para participar do II CONALIBRAS presencialmente.

Compreendendo a situação e buscando levar as discussões envolvendo a Libras em seus aspectos linguísticos, Identitários e culturais, educação e escolarização do surdo e também no aspecto da tradução e interpretação a todos os interessados na área sendo surdos e ouvintes, é que tivemos essa iniciativa de, a partir das tecnologias da EAD, propiciar condições de participação de todos os interessados nesse relevante evento, independente do lugar que o participante esteja. 

A título de informação, o evento será realizado em uma plataforma fechada, o Moodle, e o participante inscrito poderá assistir as palestras, apresentar seus trabalhos, terem seus resumos e trabalhos completos publicados nos anais do evento e ainda ter acesso a todos os trabalhos apresentados pelos demais participantes nas salas de bate-papo do Evento. Haverá certificação.  

Teremos a modalidade de Pôster e de Comunicação para a apresentação de trabalhos. 

As discussões e apresentação de trabalhos acontecerão em fóruns de discussões em que todos os participantes podem discorrer sobre o seu trabalho de forma escrita e a partir de slides, sendo que os demais participantes poderão deixar suas contribuições com questionamentos e respostas para os trabalhos de temas de interesse.

Maiores informações acessem o link: http://www.eventos.ufu.br/ii-conalibras
Para inscrições acessem o link: Para se inscrever, acesse o link: 
Fonte: Profa. Eliamar Godoi (CEPAE/UFU)

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

II CONALIBRAS - 12 a 18/11/2017 (etapa virtual, pela internet).

Olá! Participantes do II CONALIBRAS
Vem aí a primeira edição a distância do CONALIBRAS – Congresso Nacional de Libras da UFU.
Pela primeira vez, atendendo a inúmeros pedidos, o evento será realizado em duas etapas: de 06 a 09/11/2017 (etapa presencial, em Uberlândia – MG – Campus Santa Mônica) e de 12 a 18/11/2017 (etapa virtual, pela internet).
Faça sua inscrição e prepare os seus resumos, textos (Pesquisas, Projetos e Relatos de experiência) e apresente a sua pesquisa.
As inscrições e submissão de trabalho já começam. Aguardamos você!

Para participar e ter mais informações, acesse nosso site: http://www.eventos.ufu.br/ii-conalibras
Para se inscrever, acesse o link: 
Se precisar, entre em contato conosco pelo e-mail: cepae.ufu@gmail.com

Abertura do Evento assim como as demais mesas, com webconferências temáticas serão síncronas e gravadas a serem disponibilizadas no ambiente.

As inscrições com participação e apresentação de trabalho na etapa virtual vão até 09/11/2017 às 11h59. 

Etapa Virtual

Nesta etapa, teremos webconferências temáticas síncronas advindas etapa presencial – gravadas e disponibilizadas no ambiente. Sessões virtuais com apresentações de trabalhos em horários livres, com discussões e interações entre participantes e organizadores do evento especialistas, contando com o apoio de moderadores de sala.
A programação geral e a dinâmica da etapa virtual são indicadas a seguir:
10 e 11/2017 – Intervalo para a equipe distribuir os trabalhos inscritos por eixos nas salas virtuais.

12/11/2017 – PRIMEIRO DIA de evento (Etapa Virtual)
Boas vindas e recepção dos participantes no ambiente virtual
Orientação sobre a dinâmica e logística das discussões
Sessão de tira-dúvidas técnicas e outras
Abertura do Evento, com a webconferência temática síncrona e gravada a ser disponibilizada no ambiente.
12/11 a 15/11/2017 – Dia todo para submissão dos slides ou breves vídeos de apresentação da sua temática para a discussão nos fóruns – O participante deve preparar uma síntese dos elementos principais da pesquisa e submeter em forma de PPT ou breve vídeo na sua sessão para a discussão e acesso de todos os participantes.
12 a 15/11/2017 – Transmissão por webconferência das mesas redondas presenciais
12/11 a 18/11/2017 – Dia todo com horários livres – DIAS SEGUINTES do evento (Etapa Virtual) 
Mesas redondas, com a webconferência temática síncrona e gravada a partir da etapa presencial e disponibilizada no ambiente.
Apresentação de trabalhos em salas virtuais de discussão por meio dos fóruns com especialistas moderadores – Observação: cada participante deve ter ao menos 6 (seis) incursões (participação) em outros trabalhos de seu eixo, devendo ainda responder todas as perguntas colocadas para seu trabalho.
Dinâmicas das apresentações: Discussão e interação entre participantes, com mediação e com apoio de moderadores/animadores das salas virtuais que serão os organizadores do evento (todos da área) distribuídos por área de atuação nos eixos.
Temáticas das sessões virtuais serão os temas de cada eixo. Cada eixo constituir-se-á uma sessão virtual, sendo que os trabalhos serão distribuídos por eixo/sessão.
18/11/2017 – Fechamento da Etapa Virtual
Avaliação do evento pelos participantes – Será disponibilizado um espaço para o participante emitir sua avaliação do II CONALIBRAS.
OBS.: Em breve, serão disponibilizados mais detalhes das apresentações virtuais (palestras e trabalhos).
*Programação sujeita a alterações

domingo, 29 de outubro de 2017

Ganhe um lindo Calendário 2018 nessa campanha!

O nosso CALENDÁRIO 2018 já está disponível!
Olá! Tudo bem?
Você já está sabendo que o Calendário Acessível 2018 da Fundação Dorina já está disponível?
Com uma doação de apenas R$ 35 na nossa campanha de financiamento coletivo, você apoia o futuro das crianças com deficiência visual que atendemos gratuitamente por aqui e ainda GANHA UM LINDO CALENDÁRIO!

Nosso calendário possui impressões em braile e fonte ampliada e neste ano será ilustrado com lindas fotos das nossas crianças sonhando com o que querem ser quando crescerem!
A Aisha, por exemplo, está aprendendo a ler e escrever em braile para ser uma grande escritora no futuro!
você pode ajudar crianças cegas ou com baixa visão a serem o que elas quiserem no futuro e ganhar recompensas exclusivas!
Participe da nossa campanha de financiamento coletivo e ajude a realizar o sonho das nossas crianças! Quanto mais você doa, mais você ganha!
Ao fazer uma doação para nossa campanha, você nos ajuda a produzir e distribuir gratuitamente milhares de calendários para pessoas com deficiência visual em todo o Brasil! Sua doação levará inclusão para quem tanto precisa!
Precisamos de você para manter essa distribuição!


Nossa campanha de financiamento coletivo tem prazo para acabar e precisamos arrecadar esse recurso para produzir calendários para pessoas com deficiência visual em todo o Brasil!
Muito obrigada por sua solidariedade!
Fonte: Fundação Dorina <relacionamento@fundacaodorina.org.br>

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

HCU-UFU realiza Campanha de prevenção ao AVC

Dia Mundial do AVC é comemorado em 29 de Outubro
O Hospital de Clínicas de Uberlândia da Universidade Federal de Uberlândia (HCU-UFU) realiza a Campanha de Prevenção ao AVC que acontece nos dias 27, 28 e 29 de outubro. A campanha tem o objetivo de reduzir o impacto do AVC em nível global, regional e local para que a prevenção seja discutida.
Na programação acontece o “II Simpósio do Dia Mundial do AVC” no Anfiteatro do bloco 2A no campus Umuarama nos dias 27/10, das 17h às 22h e 28/10 das 8h às 12h. O evento é gratuito e aberto aos estudantes e profissionais da área de saúde de Uberlândia e região.
Já no dia 29 será realizada no Parque do Sabiá a “II Caminhada contra o AVC”, das 8h às 12h, a manhã terá várias atividades físicas e orientações para prevenção do AVC, além de quiosque com aferição de pressão arterial, glicemia, peso e IMC e orientações sobre alimentação, atividade física e prevenção ao AVC. A caminhada é aberta ao público.

PROGRAMAÇÃO
27/10/17 – II Simpósio do dia Mundial do AVC
17h – Credenciamento
17h30 – 18h30 – Atendimento ao AVCi agudo e fluxograma no município. Palestrante: Jullyanna Shinosaki (Neurologista)
18h30 – 18h40 – Discussão
18h40 – 19h – Abertura Oficial
19h – 19h20 – AVCi - Prevenção, classificação e síndromes clínicas. Palestrante: Paulo Bettero (Neurologista)
19h20 – 19h40 AVCh - Etiologia, classificação e tratamento. Palestrante: Marcelo Chioatto (Neurocirurgião)
19h40 - 20h20 – Transição do cuidado - o papel da equipe multiprofissional
hospitalar x atenção domiciliar. Palestrantes: Laerte Honorato (Fisioterapeuta), Erica Carneiro (Enfermeira), Jaqueline Paiva (Assistente Social), Marcelo Mendonça (Geriatra), Vinicius Pafume (Fisioterapeuta)
20h20 – 20h30 – Discussão
20h30 – 20h50 – Coffee break
20h50 – 21h40 – Sessão de casos com a neurorradiologia. Palestrantes: Andréa Luppi (Neurorradiologista); Raul Barbieri Neurorradiologista); Arabella de Freitas (Neurologista); Bruno Dias (Neurologista); Ismael Espíndola (Neurologista).

28/10/17 – II Simpósio do dia Mundial do AVC
08h – 08h20 – Conhecendo a escala de AVC do NIH (demonstração prática). Palestrantes:Antônio Claret (Neurologista) e José Ricardo Bento (Neurologista)
08h20 – 08h40  Novos anticoagulantes orais na prevenção do AVC. Palestrante: Flávia Bittar (Cardiologista)
08h40 – 09h  Estenose carotídea - quando e como tratar. Palestrante: Laura Rocha (Cirurgiã vascular)
09h – 10h  Atendimento ao AVCi agudo e fluxograma no município*. Palestrante: Jullyanna Shinosaki (Neurologista)
10h – 10h10  Discussão
10h10 – 10h30  Coffee Break
10h30 – 11h  Trombectomia mecânica - diretrizes e novidades. Palestrante: Guilherme Castro (Neurocirurgião)
11h – 11h20  Caniectomia descompressiva no AVC. Palestrante: Sílvio Lessa (Neurocirurgião)
11h20 – 11h40  Dor pós-AVC: como avaliar e tratar. Palestrante: Lauro Figueira (Neurologista)
11h40 – 11h50  Discussão
11h50 – 12h  Encerramento

29/10/17 – II Caminhada contra o AVC
08h – Alongamento
08h15 – Caminhada
09h – Zumba
09h40 – Fit Dance
10h20 – Tai Chi
11h – Pilates
Fonte: Ascom HCU-UFU